Seridó Potiguar: Vegetação

Vegetação


Mapa dos ecossistemas da região do Seridó (Clique para ampliar)

Áreas apresentaram composição florística variada, com presença de espécies comuns às caatingas:

Caatinga do Campo
Com vegetação de 2 a 5 metros. Entre as espécies mais comuns estão a amburana, o umbuzeiro e o mandacaru. e abundância de cactos e manchas desnudas. Apresenta cobertura vegetal mais rareada em comparação a caatinga seridó.

Caatinga Arbórea
Com árvores de 3 a 10 metros de altura. Presença de espécies comuns às caatingas e espécies características de outras formações mais úmidas.

Caatinga de Altitude
Caatinga presente nas serras de Santana, Queimadas, Formiga, Negra, João do Vale, Quintos e Garganta. Caracterizada pelo predomínio de plantas caducifólias lenhosas, arbustivas, muito ramificadas e densamente emaranhadas.

Caatinga Seridó - (Área de transição)
O principal ecossistema da região é a Caatinga do Seridó, vegetação de transição entre o caatinga do campo e Caatinga Arbórea, com árvores de porte médio e baixo, e abundância de cactos e manchas desnudas.

Várzea
Planície em terrenos junto ao rio – Floresta Ciliar de Carnaúba, ao longo do rio Rio Piranhas/Açu, em Jucurutu.

Bioma do Seridó

O bioma presente na região do Seridó é a Caatinga.

Caatinga (do tupi: ka'a [mata] + tinga [branca] = mata branca) é o único bioma exclusivamente brasileiro, o que significa que grande parte do seu patrimônio biológico não pode ser encontrado em nenhum outro lugar do planeta. Este nome decorre da paisagem esbranquiçada apresentada pela vegetação durante o período seco: a maioria das plantas perde as folhas e os troncos tornam-se esbranquiçados e secos.

Entretanto, a paisagem é bastante diversa, com regiões distintas, cujas diferenças se devem à pluviometria, fertilidade e tipos de solo e relevo.

As plantas da caatinga são xerófilas, ou seja, adaptadas ao clima seco e à pouca quantidade de água. Algumas armazenam água, outras possuem raízes superficiais para captar o máximo de água da chuva. E há as que contam com recursos pra diminuir a transpiração, como espinhos e poucas folhas.

A flora dos sertões é constituída por espécies com longa história de adaptação ao calor e à seca, é incapaz de reestruturar-se naturalmente se máquinas forem usadas para alterar o solo. A degradação é, portanto, praticamente irreversível na caatinga.

O problema grave que atinge a região do Seridó, é o processo de desertificação dos solos, que é causado pelo uso inadequado e intensivo dos mesmos.

Mapa: OpenBrasil.org/IBGE

Foto: A/D - Arquivo OpenBrasil.org
Seridó Potiguar - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página